Go to homepage
GMT
Timezones of the world
Home  |  Reports & Interviews  |  Special EventsOnline Shop Online Shop
Full reports on countries or regions, and interviews to top personalities Articles developed by Winne on any matter regarding emerging markets Forums Store
Search by Region
Click for a bigger map
SSA : ANGOLA : Interview with Dr. JoÃo SebastiÃo Teta

Entrevista com o Prof. Dr. João Sebastião Teta
Reitor da Universidade Agostinho Neto

Read this interview in english

Luanda, May 28, 2005

Nós sabemos que a Universidade Agostinho Neto é uma instituição publica. gostaríamos de saber acerca da sua historia quando foi fundada e quem foi o fundador?

A historia da Universidade começou como a historia de Angola. Há muito para se dizer, nós devemos separar as coisas do ponto de vista formal porque dum lado temos a Universidade Agostinho Neto, e do outro lado temos o Instituto Superior de Educação, foi criada em 21 de agosto de 1962 durante o sistema colonial na altura chamava-se estudos gerais universitários em Angola e em Moçambique.

O aparecimento do ensino superior em Angola deveu-se também a opressão dos angolanos, a luta de libertação obrigou aos colonialistas portugueses a introduzirem reformas sociais, e umas da reformas que eles acharam pertinente foi a criação do ensino superior, portanto este é o nascimento do ensino superior.

Os estudos gerais se transformou Universidade de Luanda isto nos anos 1970, posterior no ano de 1974 transformo-se em Universidade de Angola por ultimo depois da independeria em 1975 continuou com o mesmo nome e teve como primeiro reitor o nosso primeiro presidente Dr. Antonio Agostinho Neto, naturalmente depois da sua morte os universitário propuseram que trocassem o nome da universidade para universidade Agostinho Neto em homenagem ao seu primeiro reitor na Angola independente.

Portanto a universidade como um instrumento de um país soberano existe desde 1975, do ponto de vista formal como instituição do ensino superior existe desde 1962 é claro que depois da independeria a Universidade ficou sem quadros.

É obvio que quase todos os docentes eram portugueses, como se sabe a nossa Independência foi conturbada, muitos dos docentes tiveram que fugir do país e a universidade só tinha nesta altura mais ou menos 20 docentes dos quais 2 ou 3 angolanos.

A Universidade ficou fragilidade e durante este período havia acerca de 3000 estudantes com apenas 30 docentes. O governo recorreu a cooperação estrangeira com a política da guerra fria, Angola estava ligado com os país do leste da Europa tivemos apoios de cuba, Rússia e Vietname, tivemos também apoio do Ocidente, Espanha, Portugal mas o numero de docentes que vinham do Ocidente era insignificante.

Actualmente a Universidade conta com 30.000 estudantes, quando eu foi eleito a 3 anos a Universidade contava com 9.000 fiz um programa para o desenvolvimento da mesma e este programa vai de acordo com o Programa do Governo consequentemente este Programa é viável as necessidades do país:

  • Aumento do numero de estudantes
  • Melhoria da qualidade do ensino e investigação
  • Expansão da universidade pelo país

Porque a expansão? Porque Angola tem 13 milhoes de habitante não pode contar com uma população universitária de 30 mil o que insignificante, penso que não devemos fazer uma expansão populista é preciso melhorar a qualidade do ensino, para que os nossos estudantes possam ter diplomas reconhecido em todo mundo. Principalmente os finalistas possam ter competência que vão de acordo com os desafios da globalização, como se sabe o que faz o país desenvolver é a juventude. Atrair os jovens para o interior não é com discursos políticos mais sim devemos levar os instrumentos necessário para captar atenção dos jovens para as províncias.

Quantos docentes a Universidade têm hoje?

Acyualmente contamos hoje com cerca de 1200 docentes.

No final do ano será criada a primeira cidade universitária que terá 30.000 estudantes e irá acomodar 17.000? Qual é concretamente o projecto?

O projecto da cidade tem varias fases, como se vê o meu programa corresponde com o Programa do Governo. O que ocorre com os países do terceiro mundo é que a Universidade tem um programa diferente do governo e portanto ficam de costas viradas, felizmente nós temos um programa que coincide com o Programa do Governo é nesta base que o governo junto com a Universidade estas a criar a cidade universitária, porém no momento que se pensou fazer a vila universitária apenas tinha 5000 estudantes.

No entanto vamos criar para as ciências básicas, taís como matemáticas, física, química, e informática o sistema de departamento, como nos Estados Unidos da América isto permite optimizar os recursos humanos.

A primeira fase será para albergar apenas as ciências básicas, e terá 2500 estudantes apenas, e a segunda fase vai ser a passagem das faculdade de ciências exactas e a terceira fase vai contemplar a faculdade de medicina e que é a mais complexas isto implica a construção de um hospital universitário e no final a cidade vai comportar 17000 estudantes é intenção do governo no futuro expandirmos nas outras províncias como Cabina, Huambo, Huila, Benguela.

Temos a volta de 1243 docentes dos quais 79 professores titulares no top da carreira 89 são associados, 273 auxiliares, 376 assistentes e 340 assistentes estagiários que estão começar.

Todas as universidades tevem um desenvolvimento rápido no país, vós não temem a concorrência?

Não, ate porque 90% dos docentes pertencem a universidade publica, nenhuma destas universidades privadas possui docentes próprios a única que possui docentes próprio é a U.A.N. deve haver boas relações com as universidades privadas não podemos ser egoísta é de nosso interesse que aparece novas universidades.

A universidade católica 70% dos seus docentes pertencem á universidade publica, em conclusão 1.243 docentes da universidade publica prestam serviço as universidades privadas.

A educação tem dificuldades em vários factores, existem poucos professores e os meios de ensino são insuficientes. Actualmente a UAN tem 15 faculdades. É difícil encontrar mão-de-obra qualificada para as faculdades?

Com certeza, por isso ainda temos 200 docentes estrangeiros de diversos países não temos docentes dos Estados-Unidos mais temos boas relações com universidades americanas a questão que se põem é a barreira linguistica, os nossos docentes vêem de Portugal, Brasil, Cuba, e Espanha por uma questão de língua.

Há professores de língua inglesa?

Temos um projectos no Huambo de criar o centro cultural americana é um projecto da faculdade agraria, e também estamos a trabalhar com as autoridades americanas com objectivo de ensinar a língua inglesa.

Mais Huambo ainda não tem as condições logísticas pelo facto de ser assolado pela guerra mais temos isto no nosso projecto.

Temos um curso de formação de formadores do Instituto Superior de Ciências de Ensino (ISCED), ela forma professores do ensino a montar ali temos o curso de inglês.

Sabemos que a Faculdade de Medicina trabalhou com Estados-Unidos da América no controle da epidemia de Marburg?

A faculdade de medicina está na linha da frete no combate de Marburg. Os estudantes do ultimo ano participam no centro de estagio ao norte de Luanda mais propriamente na província do Bengo.

Os nossos estudantes fazem os testes despistagem do vírus em Caxito. Estamos a criar um outro centro de estágio no kifangondo nos estamos a trabalhar com academia médica da Polónia em griaci para criar um laboratório para estes fins.

A universidade colabora com países estrangeiros?

Sim, é a primeira universidade no país a formar 86 médicos, a faculdade de letras foi criada há dois anos com ajuda da Universidade de Pennsylvania, cooperamos com a África do sul, Alemanha, Brasil, Cuba, Espanha, ...etc.

Estes países cooperaram com a Universidade na criação da faculdade de letras, esta faculdade tem cerca de 3000 estudantes ela é uma faculdade importante para a formação do pais. Temos como cursos: sociologia, psicologia, antropologia, ...etc, são cursos importantes para cultura e desenvolvimento do país.

A universidade poderia manter contactos com as universidades que estão no sul do Estado-Unidos que falam espanhol?

Nós temos um convite oficial dos Estados-Unidos, mas a nossa agenda ainda não permite. Vamos a trabalhar com a nossa embaixada no Estados-Unidos da América com vista a criar as condições para a realização da nossa vista, mais a faculdade de ciências agraria tem contactos com muitas universidades nos Estados-Unidos da América, ela esteve fechada durante 11 anos mais nós reabrimos.

Tem havido ajuda das ONG e Igrejas?

Não, nós basicamente dependemos do orçamento do governo. Nos país do terceiro mundos acontece o inverso nós é que ajudamos as ONG, temos um grande mal que é a fome mais o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) tem um programa de erradicarem a fome, e a faculdade de ciências agraria tem ensinado a população a cultivar, adubar a terra, e conservar os alimentos, desta forma a faculdade educa a população ensaiando experiências e ali que as ONG aparecem e entrevem com ajudas de vacinas na acção de vacinação do gado.

Falando da cooperação a embaixada da Espanha doou usd 500 mil a faculdade agraria para a criação do curso de veterinária que arrancou o ano passado também a cooperação Japonesa irá criar um centro de qualidade alimentar para determinar os alimentos que entram no país. Temos a faculdades de letras que traves dos finalistas irá elaborar teses sobre os fenómenos que aparecem a nossa sociedade e tem de haver um espaço maior da universidades e das ONG.

Para terminar com está entrevista estamos aqui para promover o país e mostrar aos investidores americanos e nossos leitores o potencial. Qual seria a sua mensagem final para os investidores e leitores de nossa revista U.S. News & World Report?

Eu tenho um sonho, no começo eu disse que o nosso objectivo era o aumento da população universitária isto eu consegui falando propriamente da expansão também está em curso em algumas províncias.

O meu grande desejo é que a universidade e o país começam a fazer investigações com isto o país irá sair do subdesenvolvimento porque o ensino sem investigação não tem qualidade, Durante os 40 anos não havia cursos de mestrados e doutoramentos mais hoje existe fundamentalmente nas áreas de biologia, matemática, medicina, historia, cursos de petróleo, ...etc, fomos buscar as áreas estratégicas do país, como mensagem final dos Estado-Unidos nos ajuda na pesquisa, com o sabemos os americanos são lideres dos prémios nobel de pesquisa e isto foi patente no caso do Marburg. A investigação que está a ser feita em Atlanta também pode ser feitas aqui em conjunto. Aqui recolhemos os dados e Atlanta processa tendo a noção que não é fácil uma investigação aplicada e de ponta mais é possível fazer uma parte da investigação, este tem de ser o próximo passo da universidade encontrar parceiro. Por exemplo os cursos de mestrados os alunos vão precisar de orientadores que podem ate falar espanhol, ou inglês com os Estados-Unidos. Eu vejo a cooperação na parte da pesquisa do ensino superior, mais não só com América também com outros países de outras expressões para aprimoramos o conhecimento e suma nós estamos aberto para cooperar.

 

 

World Investment News is currently in Angola for the production of an international business report. Should you be interested in contacting our team, please send an email to: info@winne.com, along with your coordinates and area of interest.

 

Want to comment on this article? Or read other people's opinion?
Visit the Angola forum
 

 

Make World Investment News Your Homepage.
World Investment News: Your Online Source Of Information On Investment Opportunities
© 2004, 2008World INvestment NEws
, Multimedia Information Company
Contact  |  Legal Terms  |  About Us  |  Career Opportunities  |  Sitemap  |  Advertise With Us  |  Related sites